paris

PARIS! Quando o sonho virou pesadelo

janeiro 27, 2018

Paris... love is in the air... aquela música francesa ao fundo, ao estilo do filme Ratatouille (suspiro). Mas será que dá para curtir a cidade mais romântica do mundo sozinha, sem ficar nem um pingo melancólica? Descobri a resposta lá e vou contar neste post e no próximo.

Como tudo aqui neste blog, minha viagem a Paris tratava-se de um sonho... um sonho que foi realizado bem diferente da forma que imaginei. Quando criança eu sonhava em passar minha lua de mel em Paris, mas a oportunidade apareceu quando eu estava solteira e por que não aproveitar? Durante o planejamento do meu intercâmbio eu selecionei diversos países que gostaria de visitar, e Paris era o primeiro da lista. Eu estava decidida, eu visitaria Paris sozinha mesmo por 4 maravilhosos dias em dezembro de 2015. E novamente as coisas aconteceram bem diferentes de como imaginei... senta que lá vem história.


Fui de Londres a Paris no Eurostar (chique, bem) e paguei caro por isso (cerca de 200 euros), mas era Paris baby, e eu queria esbanjar pela primeira vez na vida. A viagem de trem em si não tem nada de legal, paisagem normal, trem normal, as únicas vantagens são: é mega rápido (2 horas e 30 minutos de viagem) e saber que você está naquele exato momento embaixo do canal da mancha é meio empolgante. Valeu a experiência.

Eu estava a 3 meses em um dos lugares mais seguros do mundo (Londres), onde existem câmeras em todo cantinho da cidade. Quando cheguei na Cidade Luz acabei descuidando, e muito, da minha segurança (estava mal-acostumada, né gente) ... cheguei no Gare Du Nord perto do horário do almoço, comprei passagens de metrô para os 4 dias, só para garantir, guardei minha linda carteira branca comprada dias antes na Primark dentro da minha bolsinha tiracolo e peguei o primeiro metrô que passou e desci bem bela na estação do hostel. Tinha uma padaria na saída do metrô, muito filme minha gente, parei para comprar um croassant (ai que chiqueeeeeeeeee), fui para o caixa realizar o pagamento e para minha surpresa eu não tinha mais minha carteira branca comprada dias antes na Primark... sim, minha gente, EU FUI FURTADA EM PARIS. Acontece que eu entrei com a carteira naquele bendito metrô, mas com certeza sai dele sem.
O desespero tomou conta do meu ser, comecei a checar minha bolsinha e mala dentro da padaria mesmo, tremendo como vara verde... meu passaporte ainda estava na bolsinha tiracolo mas nada de carteira. Fui direto para o hostel, guardei a mala, mas não pude fazer check-in, afinal eu não tinha pago... pelo menos ali tinha wi-fi...
Eu estava arrasada, meu sonho tinha virado meu maior pesadelo. Eu estava em outro país, qual eu não falava a língua, sem 1 centavo no bolso, com apenas meu passaporte e uma mala cheia de roupas (e sonhos). Eu tentei ir a embaixada (fechada), ao banco Itaú (fechado), era domingo droga! Resumo do dramalhão: um ano antes eu havia feito amizade com um francês em SP e ele salvou minha vida emprestando uma graninha para eu sobreviver aqueles 4 dias... Jana salvou minha vida indo me buscar em St Pancras - Londres, pois eu não tinha mais meu Oyster, muito menos libras... Dani também salvou minha vida me acalmando, reservando um hotel em Paris para os 4 dias aqui do Brasil, enviando energias positivas e me incentivando a não enfraquecer.
Pois bem, eu não enfraqueci, e curti aqueles 4 dias de uma forma deliciosa. Muitas coisas aconteceram dentro de mim durante esta viagem, foi uma transformação que me deixou muito mais forte graças a minha família e meus amigos que estiveram do meu lado em um dos momentos mais difíceis da minha vida, em uma das cidades mais lindas do mundo. Paris me transformou, não de uma forma romântica, de uma das formas mais duras possível... mas quer saber? Dá pra curtir e muito Paris desacompanhada, e com pouca grana. Dúvida? Espera o próximo post que eu vou provar. :)  
Depois ficar calminha, meu amigo francês me levou para ver a torre... Essa foto tirada no dia 05 de dez de 2015 (@blogperegrina)

passeios em londres

10 coisas legais para fazer de graça em Londres

janeiro 07, 2018

Quando planejei meu intercâmbio eu era "apenas" uma estagiaria... se tem uma coisa que eu não tinha (tenho) era (é) dinheiro. Economizei em tudo que foi possível e todo tempo que estive em Londres paguei por apenas uma atração: London Eye. O restante foi tudo de gracinha.

Selecionei as 10(+) coisas mais legaiiiiiiis para fazer em Londres de gracinha.
Observação: percebe-se que minhas dicas de coisas legais são bem lado B (o que quer dizer alternativas), isso tem muito a ver com o meu tipo de turismo menos tradicional que o normal rs

1. Richmond park
Já disse aqui o quanto sou apaixonada por parques, não é mesmo? A qualidade dos parques em Londres é algo simplesmente surreal... Dentre as dezenas de parques que conheci, selecionei o Richmond por ser o diferentão...
Não é tão fácil chegar no Richmond (nada que um app do transporte público de Londres não resolva), lembro-me que peguei cerca de 3 ônibus e levou pelo menos 2 horas, mas valeu muito a pena. Se você tiver o Oyster Card nem sentirá o preço dessa distância, pois a utilização de ônibus é livre para qualquer zona de Londres).
O Richmond park é um parque real, mas na verdade verdadeira é uma reserva natural localizada no bairro de Richmond zona 4, muito maior do que qualquer outro parque já visto e visitado em Londres. Tem uma aparência mais "selvagem" e "bruta" que o normal (talvez tenha sido isso que me conquistou rs) e lá é possível ver o veados passeando pra cima e pra baixo ou simplesmente descansando pertinho das árvores, você só precisa andar um poucão até encontra-los. Eu só observei de longe, bem longe...




Mercado de rua é outro grande amor da minha vida e Londres, obviamente, é cheio deles. Gosto do Borough por três motivos: comidas deliciosas para um brunch (chique no último), ar pitoresco que dá arrepios e fofura dos guarda-chuvas (olha o contraste ai). Além disto, o Borough Market é o mercado mais antigo de Londres, fica na Borough High Street na zona 1 de Londres (centrão), pertinho da London Bridge.





A dica aqui é na verdade um combo St.Pauls Cathedral + Millenium Bridge + Tate Modern, mas vamos por partes: a St. Pauls Cathedral é a minha igreja favorita do mundo, eu fiquei tão impressionada com a sua beleza e imponência. Minha dica é, pegue um ônibus de onde estiver com destino a St. Pauls, de lá atravesse a Millenium Bridge (ponte famosíssima usada em uma cena de Harry Potter e o Enigma do Príncipe) e entre totalmente grátis no museu de arte moderna mais importante da Inglaterra. Depois sente-se em frente ao museu, virado para o Rio Tâmisa, aprecie a vista, as pessoas e a música sempre presente em algum show alternativo.





4. Meridiano de Greenwich
Pra quem não lembra, o Meridiano de Greenwich é uma linha imaginária que demarca a divisão de longitude do globo terrestre, é o marco divisor entre os hemisférios Ocidental e Oriental. Confesso que eu não estava nem um pouco empolgada para conhecer o Meridiano, mas tive uma grata surpresa quando cheguei aos parques e ao museu. Obviamente não paguei para acessar a área privada do observatório, mas numa ruazinha logo abaixo o mesmo meridiano pode visitado. Minha dica é VISITE O DISTRITO DE GREENWICH. Passeie pelas ruas, pelo parque, pelos jardins e pelo museu a que fica láaaaaa embaixo, descendo o morro... O distrito é lindo, fica nas margens do Tamisa e tem uma cultura náutica maravilhosa de se ver.





5. Little Venice
Meu sonho de viagem sempre foi Londres, depois de realizado meu novo sonho de viagem é Itália. Descobrir um pouco da Itália em Londres foi delicioso. Little Venice é o encontro de dois canais de Londres que formam uma extensa área de caminhos de águas que mais parecem quadros. Passei por alguns pontos algumas vezes, estava sempre bastante vazio e tranquilo... em volta é possível visitar pubs, cafés e restaurantes igualmente tranquilos e acolhedores.


Você quer agitação @?
A Carnaby é uma rua situada no bairro Soho, é um centro de moda, de música, de cultura e agitação. Sugiro um passeio noturno, porque né, tem muitos pubs e baladas para curtir. No fim do ano a rua recebe uma decoração toda linda.



7. Troca da guarda no Palácio de Buckingham
Clichê, próximo.


8. Notting Hill
Eu não amei Notting Hill tanto que em 3 meses só fui lá uma vez rs
Mas TENHO que indicar o melhor restaurante da minha vida chamada Salumeria W10. É meio café, meio loja de iguarias italiana... os donos, italianos obvio, fazem massa fresca ali na sua cara... melhor restaurante da minha vida. Simples assim.


Dos mercados a arte de rua, Covent Garden é um bairro belíssimo que reúne muita cultura em um ambiente totalmente familiar.
Destaco o Covent Garden Market abaixo que sempre tem shows musicais de artistas independentes com super qualidade. Do lado de fora do mercado tem uma barraquinha de hot dog alemão, uma delícia.



10. China Town
Eu que nunca tinha visto uma China Town fiquei encantada com a de Londres. É um autêntico pedaço da China na capital inglesa, com restaurantes e lojas tradicionais da cultura oriental, acho que vale a pena se perder durante uma tarde.



Ta de bobeira entre final de novembro e início de janeiro? Não deixe de visitar o parque de diversões que se instala todo ano no meio do Hyde Park, com diversas opções de brinquedos e, obvio, muita comida boa, música de qualidade e gente bonita.
O Hyde Park em si já é uma belezura, com decoração natalina, pista de patinação no gelo, bar em carrossel (demaissss), vinho quente e música fica uma obra de arte!


Extra:

E com essas dicas/imagens lindíssimas, me despeço dos posts sobre Londres (por enquanto) e da Inglaterra (será?). Mas não pense que acabou não, tenho ainda 09 países para explorar aqui no blog e centenas na vida.

pensamentos

Wanderlust

dezembro 25, 2017

Você já teve aquela sensação "oncotô, proncovô"? (bem mineirinha mesmo)

Pois bem, essa sensação uó me pegou e confesso que durou alguns diazinhos... não sei se é o fim de ano mega corrido, minha falta de tempo para parar e pensar, todos tirando férias e a certeza de que as minhas estão tão tão distantes...

Recentemente arrumei um white-people-problem: para onde irei na minha próxima viagem? E algumas dúvidas cruéis me machucaram "quando vou tirar férias?", "será que terei férias em 2018?", "será que vou ter dinheiros para viajar?".

Minhas últimas férias foram em Julho/17 (Peru, saudades!). Quando voltei mudei de emprego e na rabeira minha vida mudou completamente também. Tudo saiu do lugar e eu entrei em foco (delícia) e até então 0 planos de viagem (que loucura).

Pra sair dessa bad aí, eu simplesmente não fiz nada rs

Do nada uma ideia deliciosa bateu, e aquela sensação wanderlust que habita em mim aflorou... minha vontade agora é de aconchego, é de friozinho, neve caindo, chocolate quente... em pleno verão, meu desejo de viagem é o oposto rs

Sei que os planos serão a longo prazo, mas pressa pra quê, não é mesmo? Tenho mais alguns milhares de sonhos para realizar e devagar e sempre eu (e qualquer pessoa nesse mundo) alcanço.

Bora começar a planejar?

curiosidade: para quem não sabe, wanderlust é um termo usado para descrever um sentimento até então indescritível: a ânsia, a ansiedade pelo próximo destino, pela próxima aventura. descreve o desejo de explorar o novo.

inglaterra além de londres

Vamos falar de praia? Bournemounth

dezembro 25, 2017

Dezembrão, invernão, e pra onde dona Fernanda PRECISA ir? PRAIA!! Delícia, praia, sol, -1°C.
-1°C? Isso mesmo! Foi a menor temperatura que enfrentei na Inglaterra, e aconteceu em uma cidade deliciosa chamada Bournemounth. Eu já disse aqui como minha vida ficou mais linda depois do Mega Bus, não é mesmo? O Mega Bus possui convenio com uma empresa de trem, que vende passagens igualmente baratíssimas, paguei cerca de 10 pound ida e volta.
Informação importante: Bournemouth foi o único lugar neste mundo maravilhoso que não ouvi ninguém falar português. Pois é, não encontrei nenhum brazuca perdido por lá (inédito).

Bournemouth fica a cerca de 200 km de Londres, no condado de Dorset, costa sul da Inglaterra. Escolhi visitar por ser uma cidade “praieira” (sou a praieira), simpática, tranquila e foi exatamente isso que encontrei. Olha essas fotos gostosas:


Que céu maravilhoso (21 de nov de 2015 - @blogperegrina)


Casinhas coloridas (21 de nov de 2015 - @blogperegrina


Mais casinhas coloridas (21 de nov de 2015 - @blogperegrina


Céu e mar: grandes amores (21 de nov de 2015 - @blogperegrina)

Céu azul enganando, -1ºC (21 de nov de 2015 - @blogperegrina)

  
Restaurante Harry Ramsden's (21 de nov de 2015 - @blogperegrina)

Restaurante Harry Ramsden's - Fish and chips hmm (21 de nov de 2015 - @blogperegrina)

inglaterra além de londres

Uma lindeza chamada Oxford

novembro 27, 2017

Depois que conheci o Mega Bus minha vida financeira em Londres se tornou muito, muito mais saudável. O Mega Bus é uma empresa de ônibus mega econômica (eita marca fiel) que possui trajetos MARA saindo de Londres (e vários lugares "das Europa"), veja aqui.

Voltando ao assunto post, Oxford.

Oxford é uma cidadezinha linda de morrer viver localizada a cerca de 100 km de Londres. É famosa pela Universidade de Oxford, milenária, tradicionalíssima, uma das mais famosas do mundo, frequentada por diversas personalidades como Bill Clinton, Tony Blair, Tim Berners Lee (inventor da World Wide Web), Thomas Hobbes, Oscar Wilde, J. R. R. Tolkien (escritor de O Senhor dos Anéis e O Hobbit) e Lewis Carroll (escritor de Alice no País das Maravilhas). Foi a primeira universidade de língua inglesa do mundo, datada em 1090. Gente, 1090!! Pensa na quantidade de história e riqueza... Pensa na áurea desse lugar.

Uma ruazinha linda "qualquer" - 17 out 2015 (@blogperegrina)

Curiosidade: em 2012 tínhamos 30 brasileiros estudando em Oxford, entre os mais de 22 mil estudantes.

Como ir de ônibus ?

Eu paguei 15 pounds ida e volta com o Mega Bus, saindo da Victoria Station e chegando na única estação de Oxford.


No dia da minha visita, a cidade estava cheia de alunos fazendo a “matricula”, que é uma cerimônia gigantesca, com parentes, amigos e alunos usando beca.  Uma lindeza. Acho que um bate-volta está de bom tamanho para conhecer a cidade, que apesar de linda é pequenininha.

O que fazer em Oxford ?


Andar pelas ruas de Oxford é como cair em um filme romântico, medieval... Eu super lia romances históricos e não vejo cenário mais propenso para uma paixão que Oxford rs além disto, algumas cenas de Harry Potter foram gravadas na Universidade. Na minha opinião não é necessário traçar um roteiro para Oxford... a cidade é tão pequena e tão concentrada que passeando a pé pelas proximidades você encontrará todos os pontos turísticos, acredite em mim.

Recomendo fortemente uma visita ao Turf Tavern, um pub histórico fundado antes de 1381 super bem frequentado pelos universitários.



Parques da universidade - 17 out 2015 (@blogperegrina)

Christ Church College - 17 out 2015 (@blogperegrina)

Christ Church College - 17 out 2015 (@blogperegrina)

Museu de história natural - 17 out 2015 (@blogperegrina)

Radcliffe Camera - 17 out 2015 (@blogperegrina)

Bridge of Sighs - 17 out 2015 (@blogperegrina)

New College - 17 out 2015 (@blogperegrina)

Turf Tavern - 17 out 2015 (@blogperegrina)

passeios em londres

Intercâmbio em Londres - Jack the Ripper Free Walking Tour

setembro 08, 2017

Walking tour é uma delícia, não é? Eu sempre tenho uma sorte danada de pegar guias divertidos... Em Londres fiz alguns free walking tour, mas o mais interessante, de longe, foi o do Jack the Ripper, ou Jack Estripador em portuguese version.
O walking tour inicia-se na Tower Hill Station, bem pertinho da estação Bank (centão). É um encanto a parte sentir o contraste new x old que se forma em segundos, passando de prédios luxuosos com arquitetura super atual, para um bairro alternativíssimo, cheio de bequinhos grafitados e um tanto quanto judiado. Mas como diria o próprio Jack Estripador: vamos por partes! (piada infame).

Má como faço pra ir nesse free walking tour ai? Só aparecer na estação qualquer dia às 19h30.
Má é de graça mesmo? Sim, é de graça. Mas a moral e bons costumes te indica fortemente, muito fortemente, que você pague ao guia o valor que achar adequado. No geral, as pessoas pagam cerca de 10 pounds.
Má quem é esse Jack? Jack é só um “apelido” para o serial killer misógino mais famoso do mundo. Também conhecido como O Estripador de Whitechapel (distrito de Londres), foi responsável pela morte brutal de pelo menos 5 prostitutas. Todas as mortes tiveram características muito semelhantes, que levaram as autoridades a acreditarem que se tratava do mesmo assassino, como gargantas cortadas, mutilação das genitálias e remoção de órgãos internos (por este motivo, acredita-se que o Jack era um médico).
Má qual é o trajeto do tour? Passamos a pé pelos locais relacionados aos ataques as prostitutas que ocorreram em 1888, a grande maioria dos lugares ainda são sinistros, mas já possui uma nova “arquitetura” e por se tratar de fatos ainda nebulosos (não se sabe ao certo QUEM foi o estripador), trata-se de suposições.
Má vale a pena? Eu adorei! O guia contou as suposições de cada caso e da identidade do estripador, achei mega interessante e bizarro (oh se gosto).






 Barbearia local se "aproveitando" do marketing gratuito rs (26 de out de 2015 - arquivo pessoal)

passeios em londres

Intercâmbio em Londres - Belas construções

setembro 02, 2017

A minha pegada turística é muito voltada a história, e não é novidade que Londres me encanta por esse motivo em específico. Além de ser centro cultural e econômico, reúne muita história por metro quadrado. Fazia parte do meu dia-a-dia tropeçar em monumentos, edifícios, construções, quase sempre centenários, milenários - delícia de rotina e isso me enchia os olhos (e a memória do meu celular com tantas fotos).

Eu montei uma seleção de fotografias de lugares que conquistaram meu coração, vou tentar contar um pouco da história de cada cantinho também:

King Cross Saint Pancras Station - quando me deparei com a estação pela primeira vez não me liguei que era a St Pancreas, nem que era uma estação na realidade. Era tanta lindeza, tantos detalhes ricos. Essa arquitetura maravilhosa foi construída entre 1868 e 1876. Sabia que a estação sofreu danos na Segunda Guerra Mundial e "ameaçaram" demoli-la ? Ainda bem que não rolou. King Cross é muito famosa por ser mencionada em todos os livros do Harry Potter, afinal a estação 9 3/4" é aí.

Trafalgar Square - A primeira vez que sonhei com Londres eu estava na Trafalgar... foi um sonho lindo, um sonho realizado. Se pensou em protestos, eventos, festas a Trafalgar é o palco. A praça é datada em mais ou menos 1800 e sua completa "personalização" se deu completa em 1867. O nome Trafalgar Square, em homenagem à Batalha de Trafalgar, em que a frota naval britânica, comandada pelo Almirante Nelson, venceu as frotas da França e Espanha em uma das guerras da era napoleônica.

Parlamento Inglês - Não, o nome da torre não é Big Ben... Big Ben é apenas o sino rs. O nome correto na verdade é Palácio de Westminster e foi construído em 1858, hoje funciona como o Parlamento. Big Ben é realmente um enorme sino de 14 toneladas que se encontra no interior da torre.

The Gherkin - Ta vendo esse prédio que parece um pepinão bem no meio da foto? Pois é, este é um dos prédio mais icônicos do centro financeiro de Londres (London City - Bank). Construído em 2003, o Gherkin tem um design diferentão em espiral.

 St. Martin-in-the-Fields Church - Localizada na Trafalgar Square essa igreja imponente fica em frente a National Galery, que também é uma lindeza de construção. A visita ao interior é totalmente free... eu conheci bem rapidinho durante uma missa que estava rolando.

Camden Lock Market - obviamente localizado em Camden (me declarei de amores a este bairro aqui), a construção do mercadão de rua é um ponto turístico muito famoso em Londres e um prédio super diferente. O que chama atenção no é edifício não é nada bom... o mercado já pegou fogo pelo menos 3 vezes (2008, 2014 e 2017). Foi construído em 1991, "reutilizado" alguns galpões ali já existentes.

Tower Bridge - Quando eu estava no avião, aterrizando pela primeira vez em Londres, eu vi a Tower Bridge láaaaa de cima, e registrei numa foto (poxa, preciso resgata-la). A ponte é de 1894 e é uma riqueza só.

Abadia de Westminster - gente, quem não viu o casório da dona Kate até então apenas Middleton, hoje Duquesa de Cambridge? Pois bem, ela casou lá, assim como a própria Rainha Elizabeth e o funeral da linda Lady Dai. É nesta igreja que aconteceu e acontece tudo de importante do mundo relacionado a realeza britânica. A arquitetura é maravilhosa, datada em 1245. Em 2015 e nessa foto ai encima, ela estava em reforma.  

Num belo dia comum durante minha estada em Londres me deparei com essa construção. O que é,  de quando é, pra que serve? Não sei migos.

St Paul Cathedral - Se alguém me perguntar qual a minha igreja favorita no mundo, direi St Paul sem pestanejar, sem pensar em Notredame, porque não tem comparação... St Paul é muito mais maravilhosa e imponente do que qualquer outra igreja que já vi... não é atoa que Lady Di dispensou a Abadia de Westminster para se casar na St Paul, eu faria o mesmo se querem saber. Ah, foi construída em 1675.

Num outro dia tipicamente Londrino, com muitas nuvens e frio, eu estava indo ao supermercado e me deparei com essa belezura. A única coisa que sei sobre é que é uma igreja.

passeios em londres

Intercâmbio em Londres - The Making of Harry Potter ❤️

agosto 21, 2017

“Isso até parece magia!” – Prof Gilderoy Lockhart (Harry Potter e a Câmara Secreta).

Eu me recordo muito nitidamente a primeira vez que assisti Harry Potter e a Pedra Filosofal. Eu devia ter uns 10 anos de idade e na época tínhamos um vídeo cassete velhinho, coitado... a fita foi emprestada pela minha tia. Eu fiquei extremamente encantada e confusa com a história, tive que assistir duas vezes para entender... Devo ter demorado meses para devolver a fita (desculpa tia), queria assistir todo santo dia...

Pronto, eu estava amando! Passei toda a minha adolescência na sofrência de aguardar o novo filme anualmente... A partir do terceiro (Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban) enfrentei filas e mais filas nos cinemas para pegar um bom lugar nas estreias... Participava de longas discussões no Orkut defendendo minhas teorias malucas para o fechamento da história... Sonhei incansavelmente com a minha carta de Hogwarts, ou pelo menos, conhecer os pontos famosos de Londres que apareciam nos filmes e eram citados nos livros (falando em livros, atualmente estou relendo Harry Potter e a Ordem da Fênix).

2015, ano do meu intercâmbio, eu estava mais ansiosa com a visita ao Studio Warner Bros do que com Londres especificamente... #ALOUCADOHPColoquei tanta, mas tanta expectativa nessa visita, e ainda consegui ser surpreendida positivamente com tanta incredibilidade.

Os ingressos estão à venda neste link, não são lá muito baratos mas vale cada pound – ah se vale. O Studio fica em um bairro chamado Leavesden, muito ao norte de Londres, dá uma canseirinha chegar lá, veja um dos trajetos neste link aqui.

Eu cheguei no Studio no primeiro ônibus do dia (OLHA A ANSIEDADE DA PESSOA). A primeira coisa a visitar é a lojinha de presentes... Claro que não comprei nada, era tudo exorbitantemente caro, mas tirei fotos e já vale né!
A entrada do Studio é um auditório e assistimos um vídeozinho com o diretor e elenco dos filmes... No final, o telão se levantou e o que estava lá???
A BELISSIMA PORTA DE CARVALHO PARA ENTRADA NO SALÃO PRINCIPAL DE HOGWARTS.

Ai meu Deus, quase tive um troço, sério. A partir daí, me diverti mais do que criança. Já disse que uma imagem expressa mais do que mil palavras, não é mesmo? Então veja alguns detalhes do Studio abaixo (CUIDADO SPOILER):


Warner Bros Studios - 11 de out de 2015

O armário sob a escada

Salão principal

Loja do senhor Olivaras

Expresso de Hogwarts

Rua dos Alfeneiros 4 Little Wings Surrey

Beco Diagonal

Noitebus andante

Gemialidades Wesley

Cerveja amanteigada

Varinhas a venda na lojinha

Sapos de chocolate a venda na lojinha

Chega de foto para não estragar a surpresa. :)

Like us on Instagram